quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Renovar.

Bem, como o prometido para 2010, volto a exercitar minha escrita. Se no primeiro post do ano falei em renascer, agora falarei em renovar.
É repetitiva essa ilusão de que ao virar o ano, tudo pode recomeçar. Como se o poder de mudança aparecesse nas mãos de cada um apenas ás 0:00h do dia primeiro de Janeiro.
A renovação acontece apenas quando é buscada e esta pode ser alcançada em qualquer dia do ano, sem data prevista, até mesmo porque uma mudança efetiva depende de todo um processo, de um investimento. Não basta apenas querer, tem que se fazer por onde - e não é esperando pelos fogos de Copacabana que alguém vai conseguir se livrar daquilo que o incomoda. Ou ninguém nunca parou para pensar que uma mudança vem justamente para livrar alguém de uma situação da qual não gosta? A mudança substitui algo que não funciona mais, que não se aplica mais a uma determinada realidade. Mas, que fique claro, ela não vem necessariamente para encobrir uma coisa ruim - pode vir apenas para melhorar o desatualizado.
Esperar pelo dia primeiro para começar uma dieta, esperar passarem 15 dias de Janeiro para se terminar uma relação ou até mesmo esperar Fevereiro para definir como será o ano que se inicia é, no mínimo, acomodar-se àquilo que já não mais lhe pertence - adiar os prazeres, as dores e os almejos é adiar a vida como um todo.
Vejo pessoas esperando as previsões feitas por religiosos (entenda-se nesse parágrafo como religiosos todos aqueles que acreditam em alguma força superior que nos rege e que nos influencia - aceitando ou não o rótulo, são religiosos de alguma espécie) quando poderiam muito bem já estar fazendo por onde para que o ano seguinte seja produtivo. Com ou sem Deus, ignorando qualquer "e se", está nas mãos dos seres-humanos o poder de guiar a vida por caminhos bons ou ruins, não depende dos orixás ou dos pais de santo - é passar a responsabilidade de seus atos no ano que se inicia para "forças" que jamais sairão em defesa própria, logo, é a covardia de não querer ser responsabilizado por escolhas boas ou ruins.
Não levanto bandeira contra nenhum tipo de crença, embora acredite que muitas funcionem de formas negativas, mas levanto sempre a bandeira contra a ignorância e a hipocrisia das pessoas. Falo em pessoas pois, no momento, prefiro não definí-las como integrantes de uma sociedade - quando entra a maldita sociedade, tudo se complica.
Em suma, quero apenas deixar claro que a mudança acontece quando vem da vontade humana e esta não se manifesta apenas na virada do ano. Se quer mudanças, comece a buscá-las o mais rápidamente possível. Felicidade não marca hora no consultório e tristeza não espera a boa vontade em ser recebida. Dê fim no que é ruim e abra as portas para o que é bom, assim a vida fica bem mais fácil e prazerosa.