quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Quem você pensa que é?

Todos os dias nos levantamos e saímos para caminhar pelas ruas, levando nossas rotinas, realizando nossas tarefas. Obrigações, compromissos, prazer... Fatos diários, ordinários, comuns a qualquer pessoa.
Você escova os dentes, penteia os cabelos, escolhe a roupa do dia, o perfume, liga o celular, pega os itens básicos para a sobreviência na cidade grande e sai porta afora, inconsciente do estrago que pode causar na vida de alguém.
O ônibus que você pega, o elevador pelo qual sobe e desce, o restaurante no qual decide almoçar, o cinema que costuma frequentar, o motel onde vira e mexe dá as caras... Sua vida? Não. É apenas seu caminho. Por onde você passar, mesmo que calado, vai alterar a história de alguém. Alguém desconhecido, que provavelmente nunca se tornará próximo (de qualquer forma possível) ou até mesmo alguém próximo, alguém cujo nome lhe é familiar.
É a teoria do caos, é o caos que você causa no mundo toda vez que se levanta da cama. Um sorriso que você dê a uma atendente de loja, que está se sentindo uma merda, pode transformar o dia dela em algo bem mais agradável.
A moedinha que você negou ao mendigo na esquina passada não era para que ele comprasse mais bebida ou mais drogas, ele realmente usaria aquela moeda, mais o montante que conseguiu juntar, para comprar um pão francês.
O beijo que você não deu na sua mãe, no seu pai, irmãos, empregada... Enfim, o carinho que você negou àquela pessoa querida foi notado e fez diferença no coração dela (mesmo que a própria não tenha percebido em um primeiro instante).
O empurrão que você deu sem querer naquela velhinha no metrô, sem um devido pedido de desculpas, só aumentou ainda mais a frustração dela por ter sido esquecida pela família no dia de seu aniversário.
Cada segundo da sua respiração altera a ordem do mundo, criando a conhecida "ordem natural das coisas". No momento em que você nasceu, naquele instante exato, começou a estragar o mundo com a sua existência... Ou pode tê-lo deixado mais belo e promissor, não se sabe.
Se acha que acordar todos os dias e seguir com a sua rotina reservadamente é um meio honesto de viver, engana-se. Você está ocupando espaço e involuntariamente está alterando tudo ao seu redor, por simplesmente existir.
Por essas e outras deve-se pensar muito antes de colocar qualquer pessoa para dentro da sua vida. Se na vida de desconhecidos, que apenas passam por você na rua, você já faz tanta diferença, imagine o que não é capaz de fazer com a vida de alguém que está constantemente ao seu lado? Um céu ou um inferno.
Pense muito antes de levantar da sua cama e pense ainda mais se deve mesmo sair de casa. O mundo não está preparado para a sua existência e se você morrer, pode até ser que para ele não haja diferença, mas para as pessoas que nele vivem haverá sim; Você vai parar de atrapalhar a vida delas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário