sábado, 30 de outubro de 2010

Reformulação.

Toda vez que venho aqui escrever é a mesma sensação: eu sou louco. Tenho esse espaço desde o final de 2008, comecei a usá-lo com alguma intenção em 2009 e cá estamos, no final de 2010 e, bem... O Whatever Hall continua sem alma. A proposta sempre foi não manter foco em nenhum tipo de assunto, o que à princípio é bastante interessante, o grande problema é que além de não ter foco, o blog não tem consistência.
Não vou negar que uso e abuso das linhas que aqui escrevo para desabafar; Não é preciso ler mais do que dois ou três textos publicados para identificar a angústia de um jovem frustrado ante as novidades da vida adulta.
Não acho meus textos ruins e não acho que me falte talento nessa área (ainda que lute constantemente para não apagar uma dúzia de textos péssimos), mas também não sou cego. Tenho uma vida virtual bastante ativa, usando e abusando de sites de relacionamento e acompanhando quatro blogs diferentes (pelo menos). O Whatever Hall não decola por um simples motivo: ele é chato. Se o próprio autor não freqüenta espaços com o perfil de sua criatura, é incoerência persistir em algo que não convence.
Assim sendo, decidi reformular o conteúdo publicado - não vou abrir mão de meus desabafos e textos longos, cheios de ideologia e rancor social, que fique claro, mas também não vou me limitar a publicar apenas isso.
Sempre tive uma certa dificuldade em escolher o material publicado por achar que precisava criar absolutamente tudo que ilustraria meu blog. Meu blog, minhas idéias, minhas criações. Errado.
Comecei a observar mais atentamente o que me prende a internet e o que tenho salvo nos meus favoritos, ao invés de apenas acessar as informações atrás de cultura inútil e de risadas. Dentro disso, percebi o que atrai as pessoas. Pegar um pouco de cada, misturar e publicar pode resultar em um blog mais vivo, ainda sem foco, mas com intenção. Claro que tomarei cuidado para sempre creditar o autor do que for publicado, inclusive indicando aonde consegui o material pois é importante haver uma bibliografia, mesmo que se trate de um blog - sou criativo e narcisista o suficiente para não querer, de forma alguma, me apossar do trabalho de terceiros.
Por fim, acho que não faltou dizer nada... Até porque se não estou falando sozinho, me dirijo a meus pouquíssimos leitores; Não faço idéia de quantos acessos o Whatever Hall já recebeu e muito menos se há algum seguidor mais assíduo daquilo que publico.

Vamos ver no que vai dar. That's all folks!*

*Saudosa despedida repetida inúmeras vezes na época em que meu Fotolog bombava, lá em 2006/2007.