terça-feira, 30 de novembro de 2010

Perigosa matemática.

Todos estamos cansados de saber que álcool + direção não é uma soma produtiva.
Se beber, não dirija.

Uma outra soma bastante inapropriada, e relativamente recente, é Lady Gaga + gays com tendências ao fanatismo.
Viadagem + Lady Gaga: os resultados podem ser catastróficos.
#Reflitam

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Deus - lado B: egocentrismo.

Acho incrível como o ego do ser-humano é capaz de transformar tudo em uma história sobre ele mesmo. Mais alguém aí acha absurda a concepção de Deus que muitas religiões têm ou sou só eu?
Deus é a caracterização, em forma de entidade, de todo o egocentrismo individual humano somado. Todos somos egocêntricos, vemos o mundo girando ao nosso redor. Analisamos as situações sempre pelo nosso ponto de vista, ou seja, tendemos sempre ao que nos interessa.
Acreditar que esse ser chamado Deus existe para, basicamente, tomar conta de cada atitude individual de cada maldito ser-humano que existe é de uma alienação, de uma ingenuidade.
Falar que "Deus é Deus e por isso pode tudo" é um argumento razo, portanto, não me venham com essa. "Porque sim" nunca é resposta, principalmente para Deus - para um ser tão grandioso, TUDO tem uma justificativa palpável e realista; Ele criou o real, Ele criou a lógica. Você não saber qual é não anula sua existência. Pare de achar que sabe quem é Deus e o que Ele quer.
A grande verdade e que ninguém faz idéia de quem é Deus, quais são seus valores, o que de fato Ele quer, quais são os parâmetros e limites de suas ações e até mesmo de sua própria existência. Porque, sim, mesmo que muitos não acreditem, Deus existe de fato, ainda que no final possa ter sido apenas um átomo filho da puta que fez a ligação certa para começar aquela porra toda que nos permitiu estar aqui hoje em dia; A teoria da evolução é muito interessante, mas nem tudo nesse mundo pode ser explicado pela nossa limitada ciência - é limitada SIM, lide com isso, seu ateu de meia tigela.
Temos uma variedade infindável de religiões, crenças, teorias, livros... Quem acha J.K. Rowling genial deveria ler "A Bíblia Sagrada". Impossível existir livro mais mágico, bem amarrado e envolvente, é um best-seller de dar inveja em qualquer escritor; Também pudera, foi traduzido tantas vezes, foram tantas inclusões à obra original... É quase como "A História Sem Fim".
Não confie na Bíblia, não seja medíocre. Sem nenhum eufemismo: é burrice acreditar nesse livro. Por quê? Todos sabemos que qualquer coisa que dependa da vontade humana serve para algum interesse específico. Conhecendo o homem e a história dele, vai mesmo comprar a idéia de que esse troço é uma tradução exata de pergaminhos escritos, em uma língua morta, há mais de 2.000 anos? Algumas edições são até mais honestas e avisam que tratam-se de interpretações baseadas em arquivos antigos, mas ainda assim não deixam de lado a origem duvidosa.
Vai nessa que a igreja católica mantém isso a sete chaves porque trata-se de informação valiosa. Ela esconde porque sabe que a verdade é bem diferente do que ela sempre vendeu com o intuito de reordenar e coordenar a sociedade, como se fosse um rebanho; Uma escravidão presa a valores e conceitos que servem a propósitos patriarcais retrógrados destinados a manutenção do poder da igreja. Você já foi ao Vaticano? É uma alegoria de mau gosto que reforça toda a história nojenta que está por trás da instituição capitalista conhecida como "A Santa Igreja Católica".
Nunca parou para pensar no tamanho do barulho, não é mesmo? Sabe o que é isso? O medo e o egocentrismo falando mais alto. Deus existe nessa exata concepção, e ele VAI te castigar por CADA erro (sinônimo de pecado, perceba) que você cometer ao longo da sua vida, porque ele não faz mais nada além de nos vigiar e contabilizar o que produzimos e o que destruimos; Você deve servi-lo para garantir a eternidade dourada do paraíso divino, e se Ele não curtir sua atuação na peça de teatro que é a vida, beijos, te manda para o inferno, onde arderá numa piscina de enxofre para todo o sempre. Sádico, não é? Tão sádico que parece... Humano. Imagem e semelhança? Audácia e prepotência.
O que permite a manutenção dessa fé cega é o medo que temos de nós mesmos. Nosso maior juiz é a nossa própria consciência; Ela sempre vai te condenar antes de qualquer tribunal divino, e é por ela que você passará pelo inferno. O seu inferno pessoal, criado por você, para você, algo totalmente personalizado.
Foi uma ótima sacada Dele criar a consciência humana; Ela é seu lado egoísta te fazendo sofrer, te fazendo repensar toda e qualquer atitude que o tenha afastado da perfeição que deve alcançar, sendo essa pessoa incrível que você é. Você é o máximo, não é? Você é Deus, bem vindo ao inferno.


Chanchinho.

Existe há tanto tempo que nem lembro quando ele apareceu.
Também pudera, o ganhei quando ainda usava fraldas.
Quando pequeno (por volta dos três anos), ao acordar, o abraçava e colocava no peito, tapando a metade de baixo do meu rosto. Vergonhas de um ser-humano que sempre detestou acordar.
Sobreviveu a viagens, mudanças, alguns meses de separação entre um natal e um carnaval (esquecido na casa de campo), choros infindáveis, todos os dramas de minha vida; Tornou-se a própria encarnação das minhas lágrimas de tanto que as enxugou. 
Minha alegria e minha tristeza, meu soninho e meus pesadelos...
Foi reformado algumas vezes, sempre mantendo o forro original, algo que funciona como sua alma. 
Uma das muitas manias que ainda carrego da minha infância. 
Meu sono não é o mesmo se ele não estiver sobre meus olhos.
Nojento ou não, pouco me importa se já estamos na vigésima geração de ácaros, não pretendo largá-lo até o dia de minha morte.
Doentio ou fofo, o que for mais adequado, ele ainda carrega o nome que dei quando mal conseguia falar, ainda que minha primeira palavra tenha sido "Cláudia".
Chanchinho, o pouco da criança que ainda vive aqui dentro. 
Comecei a lacrimejar, paro por aqui. 


quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Eu vou matar Kylie Minogue.

Isso aqui vai ser um fútil desabafo. Quem lê o blog com alguma frequência (HAHAHAHAHA) já percebeu como acho divertido criticar as cantoras do cenário Pop atual, e pôde perceber também a minha predileção por quatro delas: Madonna, Lady Gaga, Katy Perry e Kylie Minogue (em ordem de importância para mim).
O que talvez não tenha ficado claro é que faço isso justamente por adorá-las; Taí um enorme defeito meu: se eu gosto muito de uma coisa, encho de críticas, ressalto seus defeitos, lanço meu sarcasmo, minha ironia, isso tudo sem deixar de gostar.
Sempre tive um senso crítico muito forte, o que sempre me impediu de ser realmente fã de alguma coisa. Para não dizer que isso nunca aconteceu, já fui muito obcecado por dois filmes; Titanic, mas partilhava da mesma obsessão que outras milhares de pessoas, e A Pequena Sereia, porque esse filme tem muito a ver com uma fase complicada pela qual passei no final da adolescência.
Voltando as cantoras. O que nunca mencionei aqui é porque comecei a falar tanto dessas em especial. As conhecia? Claro, mas não a fundo. Gostava delas? Sim, bastante. Espera aí, nem todas.
Kylie Minogue tornou-se uma mistura de demônio com fantasma na minha vida, e tudo por culpa de uma pessoa que era fanática por ela.
Convivi com ela por cerca de dois meses (tanto com a fanática enlouquecida quanto com a cantora sem gracinha) e foi o suficiente para nunca mais esquecê-la; É uma relação de amor e ódio.
 Gosto de muitas de suas músicas, adoro muitos de seus clipes, gosto da imagem que ela passa, porém, ainda há a barreira criada por esse ser infeliz que nada mais fazia senão falar sobre ela, chorar por ela e querer ser ela. Todos sabemos que nesse tipo de adoração, há o outro lado da moeda. Enaltecia a Kylie e a comparava com as demais; "Porque a Kylie foi muito copiada pela Madonna, que não passa de uma farsa". "Porque a Kylie tem o bom gosto que falta a Gaga". "Porque a Katy Perry tem cara de sujinha". E por aí vai.
Sofri uma lavagem cerebral que saiu pela culatra: comecei a amar a Kylie? Não e sim; Conheci seu trabalho e curti muitas de suas fases. Comecei a gostar das outras? Muito. Por quê? Simples: de tanto ouvir comparações e críticas, resolvi ir atrás de informações, discografias, fui pesquisar para poder formar minha opinião. Nisso descobri que a cantora que mais me faz ter vontade de sair dançando é a Madonna, que a cantora que mais me encanta é a Lady Gaga, que a Katy Perry é ótima para se ouvir no metrô lotado (sério, tentem). No final, comprei as quatro, adoro as quatro, mas a maldita da Kylie continua na corda bamba entre querida e odiada.
Resolvi escrever sobre o assunto como uma forma de exorcizar parte desse rancor ao qual seu nome me remete, mas , infelizmente, já percebi que não vai adiantar muito. A pessoa que nos apresentou nada mais fez senão me proporcionar uma falsa sensação de segurança que terminou com gargalhadas virtuais.
Parece bobagem, mas é uma coisa interessante. As associações que fazemos influenciam diretamente no nosso gosto pessoal; Ninguém ama algo que o faz lembrar de um momento ruim. Quantas músicas são esquecidas depois que o casal se separa? Quantos lugares perdem clientes por causa da confusão que aconteceu ali, naquele passado não tão distante? Boates, restaurantes, praias, motéis, filmes, datas... Qualquer coisa pode entrar para essa categoria, e quem decide isso somos nós e nossas neuras.
Meter o pau na Kylie vai mudar o que me aconteceu? Não. Vai castigar essa pessoa que cruzou meu caminho e só fez estragos? HAHAHAHAHA, não. Me faz bem? Creio que não. Virou um estranho recalque. Tenho vontade de arremessar uma vaca na cara dela, mas não deixo de escutar suas músicas. Incoerente, paradoxo, seja o que for, essa é minha relação com a srta. Minogue.
Em contraponto, ouvi tanto que a Madonna era péssima cantora, uma grande plagiadora, uma farsa, que acabei me apaixonando por ela. Já conhecia algumas de suas músicas (principalmente a de sua ótima fase de 2005), mas nem de longe tinha escutado toda a sua discografia. Descobri sua autoria em muitas das músicas que eu amava desde sempre. Me apeguei tanto a ela que comecei a comprar os DVDs de suas turnês - confesso que até uma boneca dela (da http://www.katkiller.com.br/) está aqui, sentada do meu lado nesse momento.
Se você chegou até aqui e está me achando um grande imbecil, engana-se. Os alvos escolhidos podem ser péssimos, mas a equação é bastante interessante. Troque as cantoras por algo que lhe faça sentido, algo que seja do seu gosto (falo de qualquer coisa mesmo). Vai dizer que nunca passou por algo parecido? Nunca quis ser o famoso "do contra"? Nunca fez birra ao associar coisas a algum trauma só porque elas estavam presentes no tema? Não? Se sou imbecil, você é estranho.
Sem mais rodeios, até porque já estendi demais esse assunto, vou assumir aqui toda a raiva reprimida que sinto por essa maldita cantora, e justifico esse ódio com o recalque que um de seus fãs me deixou de herança após sair da minha vida. Em outras palavras: Kylie Minogue, prepare-se para a guerra: vista a fantasia feita de ursinho de pelúcia e venha me encontrar no ringue.




quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Operação saco-cheio.

Toda vez que me encontro em um ócio extremamente violento, procuro logo algum trabalho manual para me distrair. Já falei sobre isso antes, mas, vá lá... Desde que descobri o http://rabiscopop.virgula.uol.com.br/ esse problema acabou. Tá de saco cheio? Vai na sessão de Paper Divas, escolhe a sua preferida, imprime, corta, monta e pronto, um enfeite super bonitinho (bichinha) e aquela sensação de vazio amenizada.

Acho terapêutico... Tão terapêutico que já fiz algumas, então, vamos a elas:

Madonna, minha adorável múmia.

Britney, que só fiz porque achei a boneca bonitinha.

Lady Gaga, toda trabalhada no carpaccio.

Beyoncé, linda em Telephone.

Kylie Minogzzz....

Vale comentar que o último papercraft toy não é assinado pelo Vic Matos. Essa Jigglypuff saiu do http://www.cubeecraft.com/, que também é ótimo; Tem personagens de temas e tipos variados (filmes, video games, séries, etc), mas o layout dos bonecos é bem diferente (mais complexo para montar).

Golpe de sorte.

Faz alguns dias que ando meio misterioso, comentando por alto sobre uma novidade que talvez seja a saída que eu precisava em mais um momento de crise... Não que ter sido misterioso tenha instigado muita gente, mas os mais próximos sentiram isso um pouco. Não quis contar em um primeiro momento pois estava tudo muito incerto, mas agora, com tudo nos conformes e com calma, posso me pronunciar sobre.
Semana retrasada, sábado e domingo, rolaram os dois últimos dias da Rio Comic Con 2010 (dê um Google se não souber do que se trata), e, arrastado por uma amiga (a melhor, vale comentar), fui ver do que se tratava (já fazia idéia).  Fomos no sábado; Achei tudo meio sem graça, pouco variedade de conteúdo (muito sobre quadrinhos, pouco sobre outros formatos de... whatever). O fato é que na entrada do evento, assinei um cupom para participar de um sorteio com premiações variadas. Quarta-feira passada recebi uma ligação; Sim, eu ganhei um prêmio, mas foi algo muito além de uma camisetinha com boné.
Fui um dos seis sorteados para uma bolsa de estudos (maravilhosa) em um curso profissionalizante voltado para a produção de jogos de video game; Personagens, história, roteiro, desenho, pintura, escultura, efeitos gráficos, efeitos especiais, 3D, vou aprender isso tudo ao longo de dois anos e meio, divididos em módulos com a duração de três meses cada.
É só a melhor escola especializada nesse assunto NO BRASIL, sendo que tem laboratórios mais bem equipados do que o de muitas produtoras americanas, além de estar associada a quatro produtoras e de ter o apoio e reconhecimento da IGDA (International Game Developers Association), com diploma certificado pela Adobe.
Roubei algumas fotos da unidade onde vou estudar só para dar uma noção de onde estou me metendo.

As esculturas em massa - vou aprender as técnicas logo no primeiro módulo, em Concept Art.
O lobby super coloridinho (detalhe do Homem-Aranha pendurado no canto esquerdo).
A sala com video game (Playstation 3 no presente momento) para os alunos passarem o tempo. Sim, isso é uma escola. Sim, isso existe. Se meus olhos não me enganam, a bonitinha sentada no almofadão azul é a linda da Karina, que super me recebeu bem, explicou todo o andamento do curso, a estrutura, etc e tal. Muito fofa!
Se não me falha a memória, isso aqui é... Ok, não lembro, mas sei que fica perto do laboratório de edição de som.
Eis minha sala de aula - ela tem poltronas LARANJAS, UM COMPUTADOR POR ALUNO. Sim, sou cagado.

A habilitação do curso me permite trabalhar em várias áreas de produção visual; Não só vou estar habilitado para criar jogos de video game, computador e celular, também poderei arriscar desenhos animados, efeitos especiais (cinema, oh yeah), quadrinhos, cartoons, e por aí vai.

Ainda ganhei de brinde a indicação de um amigo para fazer o curso com uma bolsa igual a minha; Brasília, não vai ser tão cedo que você vai rever o @LebowskiMann. Ele adorou a idéia e se inscreveu hoje, começaremos na mesma turma!

Isso aqui explica direitinho o que irei aprender:
Agradecimentos ao @LebowskiMann por ter encontrado esse video.

O mais bacana é que dois dias antes de ganhar a bolsa de estudos, fiz dois posts aqui implicando com os nerds e agora, serei um deles - diplomado ainda por cima. Nem sempre as ironias da vida são escrotas.
Aonde isso tudo vai dar eu não sei, mas que estou super empolgado, motivado e ansioso, HÁ, posso dizer que não tenho conseguido pensar direito em mais nada - graças a Deus o curso vai começar ainda esse ano.

Originalmente eu não ía me pronunciar sobre o assunto, ía contar apenas para os amigos mais próximos, a fim de evitar olho gordo, bruxarias (tem sempre um(a) fofo(a) para cortar o barato), conselhos dispensáveis, etc, mas, né? Que graça tem ganhar uma coisa dessas sem poder fazer alarde?

E se você está pensando "coitado, acha que isso vai dar certo, que vai ganhar dinheiro com isso", sabe o que penso a respeito? Enquanto você estiver se matando em algum escritório, brincando de gente grande até que chegue a idade necessária para que convença nesse papel, muito provavelmente vou estar jogando video game e ganhando muito bem para fazer isso*.

Heh!
Beijos escrotos.

*E caso tudo dê errado, com essa carinha linda e esse corpinho que Deus me deu, arranjo quem me banque em 3, 2, 1... Rsrs.


domingo, 21 de novembro de 2010

Let's get physical.


(Y)

#MomentoBlackframe: Ironia.

Lembram que no início da semana fiz dois posts sacaneando os nerds? Então, aqui vai mais um.

A lápide acima só pode ser de um nerd; "Respawn" é o termo em Inglês utilizado para denominar o tempo restante para que um inimigo derrotado ou item pego por outro jogador reapareça em um jogo.

Sabem qual é a ironia? Vou começar um curso novo para me tornar um nerd com diploma. Ironias à parte, minha estética EU NÃO VOU MUDAR NEM POR UM CACETE CRAVEJADO DE DIAMANTES*, aviso logo.

Guilherme, deal with it.

*trata-se de uma das pérolas de Vani, personagem vivida por Fernanda Torres na antológica série "Os Normais". Ela é meu segundo alterego.

sábado, 20 de novembro de 2010

Uma pausa para as artes...

É por essas e outras que sou apaixonado pela Escola de Belas Artes da UFRJ (EBA). Claro que o fato de ter vários amigos lá influencia, mas o que eles não sabem é por que gosto tanto deles... Hihihi.


Choppada e orgia em Dezembro.


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Deus - lado A.

Há um bom tempo venho querendo escrever um texto sobre Deus... Sim, esse será um texto de cunho religioso. Calma! Não precisa desistir dele agora, ainda nem comecei. Como sempre faço tudo de uma forma diferente, vou falar a meu modo. Não será um único texto, como pode-se observar pelo título haverá um segundo texto, o lado B da história - e será esse o mais interessante (e agressivo), creio.
Por que somos tão descrentes? Sei que a vida é feita de surpresas, o improvável move as areias do tempo, não existem milagres, existem coincidências... Será que tudo é mesmo tão solto assim? Até a sensação de liberdade que me toma quando olho para o céu, tão profundo e encantador (um belo adorno para essa redoma de proteção que permite ao nosso planeta a vida), me trás esse questionamento: Deus não existe mesmo?
Porque, sim, vivemos numa era onde cada vez mais Ele é tratado como lenda, fraqueza, ou até mesmo, ignorância. A lenta queda dos valores católicos, que limitaram monstruosamente a mente da sociedade brasileira, comprova o que estou dizendo.
O que antes era absurdo, começa a forçar aceitação, faz barulho, grita por igualdade. Questionam, obrigam, imploram, emocionam... É o brasileiro concientizando-se de que, antes de vestir o verde e amarelo na Copa, ele é humano. Humano. É, o brasileiro é humano.
Seu relativo atraso em relação às demais culturas começa a tornar-se um peso dispensável, provocando uma mudança de comportamento na população, o que é reforçado pela resistência; Sempre que uma grande revolução de aproxima, a resistência se faz presente das mais diversas maneiras (normalmente, apelando para a violência); Fazem birra, gritam, protegem-se atrás de argumentos fracos, batidos, incoerentes... É o medo da mudança falando mais alto, é a realização de todas as suas inseguranças.
Toda violência está ligada diretamente a algum tipo de medo e manifesta-se justamente quando a pervercidade do lado animal fala mais alto; Auto-proteção, um instinto irracional. Se o mundo mudar, alguns podem não conseguir acompanhar, e ninguém quer ficar para trá, não é mesmo? Batem de frente, aproveitamque o processo está apenas se aquecendo para atacar seu desenvolvimento.
Quando penso em Deus, automaticamente, milhares de dúvidas me vem à cabeça, todas histéricas, abafando os sons a minha volta. Tenho medo Dele, pois acredito em sua existência (muito embora minha fé seja extremamente particular, personalizada  por todas as experiências de vida que acumulo e por todas as observações que faço sobre o mundo que me cerca). Apesar desse medo, reconheço que, se é capaz de fazer grandes estragos, obedecendo a seus planos (seja lá quais forem), também é capaz de realizar grandes feitos.
Adão, Eva, Moisés, Maria... Coadjuvantes, possíveis personagens, erros de interpretação, pouco me importa. Não dá para acreditar que aqui estamos apenas por causa de uma escala evolutiva, uma soma química que acidentalmente deu certo.
 Não vou dizer também que acredito no que é dito pelo homem; Tenho pé atrás com todas as religiões, pois onde há a mão do homem, há justamente o maior dos defeitos dele: o egoísmo, egocentrismo; O ego.
Andei, andei, andei... Não cheguei a lugar nenhum. Vou encerrar explicando porque resolvi tocar nesse assunto agora.
Na última quarta-feira, recebi uma ligação, e por ela um portão dourado imenso se abriu para mim. Não é nenhum segredo que estou querendo abandonar o curso de Jornalismo, e todos os que são mais próximos sabem que penso seriamente em me jogar em Desenho Industrial.
O fato é que, de mãos atadas pela faculdade, passei por meses de crise, de desocupação e desinteresse, e logicamente me abalei por isso. É horrível não saber o que fazer com o futuro que lhe aguarda, sobretudo quando a necessidade de produzir é essencial à sua felicidade plena.
Por uma virada drástica e bizarra do destino, um novo caminho se abriu a minha frente, como se fosse mágica. Sou controlador, sou medroso, inseguro e desconfiado, a esmola está sendo muito boa, meu santo grita por provas que a tornem aceitável... Sei que sempre pagamos um preço alto por nossas escolhas, sejam boas ou ruins. Quero saber qual será o preço que pagarei caso passe por esse portão dourado, mas verdade seja dita: não tenho muito o que perder, seja lá qual for o resultado.
Por isso voltei a pensar em Deus e me motivei a escrever esse texto. Foi a ligação certa, com a proposta certa, em termos certos, no momento exato. É bom demais para ser verdade, mas, por que não acreditar?


Pauta? HAHAHAHAHA!

Vi essa brincadeira no Facebook e achei muito divertida. Como pauta é uma coisa que não existe nesse blog, vou publicá-la para que você, que está mais perdido do que travesti em academia de Jiu-Jitsu, possa se divertir. Siga os passos descritos abaixo e pronto, rapidinho terá o nome da sua própria banda e do primeiro álbum dela.

1ª Passo - Entre nesse link ( http://en.wikipedia.org/wiki/Special:Random ). O primeiro artigo da Wikipedia aleatória que aparecer vai ser o nome da sua banda.

2ª Passo - Após saber o nome da sua banda clique nesse link (http://www.quotationspage.com/random.php3 ). As 4 ou 5 últimas palavras da última citação serão o nome do álbum da sua banda.

3ª Passo - Depois entre no endereço (http://www.flickr.com/explore/interesting/7days ). A terceira foto que aparecer, não importa qual seja, será a capa do álbum.

4ª Passo - Com o Photoshop (ou similar) use todas as informações anteriores para criar a capa do álbum.

5ª Passo - Faça a marcação dos seus amigos na imagem para que eles façam também as capas de seus álbuns.

Como exemplo, vou publicar o meu resultado.

OSA CLASS MISSILE BOAT
Playful, Rebellious and Immature.


PUTA MERDA, FICOU A MINHA CARA. #MORRI

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Verdade seja dita - o recomeço.

Como está para ser lançado o penúltimo filme da série Harry Potter, comecei a me deparar com um massacre de fotos, montagens, colagens, desenhos, etc e afins, sobre a Emma Watson (a.k.a Hermione Granger).
Já faz algum tempo que vejo adoradores de HP elogiando a atriz, dizendo como ela ficou bonita depois de crescida, gostosa... Espera. Bonita, ok. Beleza clássica, belos traços. GOSTOSA? NOT. 



O fato dela ser a mais bonitinha do elenco não a qualifica como mulher fatal. Aprenda a lidar com isso.

#YellowFrame: NERDS.



Em pensar que até VOCÊS me excluíam na época do colégio, tsc.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Solto.

Sem metas ou horizonte à vista, esquecer o controle e deixar de procurar terra firme. O balanço do mar é sedutor, sobretudo quando não se faz idéia de onde ele poderá te levar. O incerto promete tanto, oferece muito mais adrenalina do que o porto seguro, empolga, incita, dá um gostinho salgado e temperado à vida.
Num cenário onde tudo parece espetacular, é difícil chocar-se ou iludir-se com alguma coisa. Tudo é fantástico.
A nova cara da vida noturna nessa cidade tão limitada, os novos restaurantes cheios de sabores desconhecidos, nem mesmo a praia, velha companheira, parece a mesma. O cinema cada vez mais inteligente, menos maquiagem, mais conteúdo.
A política alçando novas fronteiras, a roubalheira continua, mas agora preocupa-se em achar belos disfarces; Todo descaramento é falta de respeito. Façam a merda, mas disfarcem o cheiro; E agora o estão fazendo.
A sociedade mudando sua cabeça, abrindo-se ao que já é vanguarda, admitindo o que antes via como falha. Ainda há a resistência, a ignorância coletiva, mas a cada dia que passa, sem forças, ela perde um integrante e ganha um abraço de compreensão.
A estética humana mantendo cada vez mais a juventude física; Creminhos, ácidos, botox, laser, peeling, plástica... Lindas máscaras, sempre retocáveis, nunca uma obra de arte finalizada; Nenhuma obra de arte pode ser considerada finalizada, para seu autor, há sempre o que melhorar. Nesse caso, a própria obra grita por uma intervenção; O clássico grego é o objetivo, mesmo que se percam alguns braços.
Em meio a isso tudo, observar o lento caminhar do mundo a um possível futuro promissor me incomoda, me alarma, me deixa cada vez mais certo de que o balanço do mar é meu lugar. Há muito deixei de acreditar no que salta aos olhos, há muito procuro a base de tudo. E não vejo base alguma.
Uma tristeza profunda, uma inconformidade com a realidade, eis as motivações dessa humanidade tão pequena para que sinta-se mais agradável. É tudo mentira, é tudo teatro. Vamos todos morrer mesmo.


O Deus dos gordos.


Porque não importa o quanto se emagreça; Uma vez gordo, gordo para sempre.

domingo, 14 de novembro de 2010

Concurso: Reciclagem Dominical Super Manjada.

Pauta é uma coisa que está me faltando ultimamente, sendo assim, super vou reciclar um tema pra lá de batido em toda a internet. Que foi? As emissoras de televisão fazem isso ano após ano e a audiência só cresce.
Vou realizar um concurso, porque um dos meus passatempos prediletos é ir atrás de fotos de celebridades sem maquiagem e Photoshop. As escolhidas, é claro, foram as minhas fofoletes favoritas; Lady Gaga, Madonna, Kylie Minogue e Katy Perry. As regras são simples: dane-se a diferença de idade entre elas, a que se apresentar melhor sem muita produção, ou seja, a menos "esquisita" ao natural, ganha um salgado especial, vindo direto da minha cantina particular.

Vamos começar com a minha árvore de natal temática favorita, Lady Gaga, mostra tudo aos Papa-paparazzis, vai!

Sou só eu que vejo isso ou ás vezes rola mesmo toda uma vibe Nazaré Tedesco (Google it, loser)?
Vamos limpar essa cara e tirar essa peruca?

Já viram o filme "Monster", com a Charlize Theron? Não? Google it.

Agora é a vez da diva das divas. Arrasa, Madonninha.
Olha, tá uma senhora bonita. Gostei, e essa foto é de 2010.

Vamos ser sinceros: não é assim que a senhora acorda e sai pra passear com os cães todos dias, né? Vai, tira a máscara de gesso.
Vamos dar um desconto, ela nasceu pouco depois da metade do século passado.

Ok, agora é a vez da que atualmente é conhecida como a mais inteirona das cantoras mais antigas, vai lá Kylie, mostra como é que se usa botox e maquiagem direito!
Essa apresentação é relativamente recente (2010, ao que me consta).
42, é? Tá bem mesmo, porque essa maquiagem tá super leve.
Mas, né? Ainda assim rola uma produção. Vai lá, limpa essa carinha redonda e volte aqui pronta pro suicídio social.
Só consigo pensar em fungos ao olhar para essa imagem.

A vez da rainha das poses, Katy Perry. A senhorita também curte uma superprodução que eu sei, vamos com uma foto mais "normalzinha".
Prefiro você de cabelinho curto, mas dá para perdoar esse cabelo "Tereza Mexas Coloridas".
Vamos para a realidade?
MUITO BOM. Finalmente um ser-humano normal por debaixo da maquiagem.

E a vencedora é: KATY PERRY! Vem, corre pro pódio, vem pegar o seu salgado!



Sem mais.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Verdade seja dita - Parte 3.




No fundo, acaba sendo bem por aí.

Verdade seja dita - parte 2.


Talvez você não tenha reconhecido, mas a senhora de longos cabelos escuros é a Cher. É.


"If I could turn back time..."

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Verdade seja dita.


Quem percebeu isso primeiro: @tatocapdeville (a.k.a O Dramático da Tijuca).
Rsrs.


Valentina.


Uma breve homenagem a essa pequena tirana, por quem sou louco desde a primeira lambida que levei na cara ; Ela tinha quatro meses, entrou cozinha adentro e voou em cima de mim. Minha gorda!

OBS: ignorem a genital do macaco de madeira que adorna minha sala. Quero explodi-lo desde os meus oito anos de idade. 


terça-feira, 9 de novembro de 2010

Trash the dress.

Não é nenhuma novidade, já até saiu na Revista O Globo (que acompanha o jornal aos domingos), mas como é uma idéia que achei muito iriginal, custa nada publicá-la.
Ao invés de um álbum de casamento tradicional, comportado, por que não destruir o vestido de noiva durante o ensaio? E por que não fazê-lo em meio a cenários inusitados? Bora.


Uma das minhas favoritas.
Um bonito clichê; As Noivas de Copacabana, versão light.
No melhor estilo "Samara nordestina".
O meu ensaio seria esse.
Tem sempre uma retardada, mas nesse caso ficou até muito bom.

É um "movimento" que existe já faz alguns anos, mas se popularizou mais de 2009 para cá.
 Em pensar que tantos ensaios geniais vão acabar em divórcio... Pelas fotos, dá até para saber quais tem maiores chances de terminar nos tribunais.



WANT YOUR 
BAD ROMANCE!


Até quis colocar minhas bordas amarelas nas fotos, mas o formato de algumas impediu.


Tirinha: considerações finais.


...?