sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Pensar dói.

E dói bastante. Entenda, não estou falando do simples ato de pensar, falo daquela auto-avaliação a qual nos submetemos toda vez que chegamos a um ponto cego em nossas vidas.
E o que seria esse ponto cego? A conclusão de uma fase. Sempre que encerramos um processo, avaliamos o caminho percorrido e o resultado.
Como bons seres-humanos que somos, muitas das vezes erramos nas curvas, saímos do eixo e estragamos o que poderíamos ter alcançado com êxito - é aqui que sentimos dor ao pensar. E se?
Na vida não há "e se". É uma suposição que por meio do auto-flagelo busca evidenciar o quão imbecil você foi. Na vida não há nenhum "e se" de verdade; Parece não ter lógica, mas é verdade: NADA tem conserto exato. Você pode até mudar o resultado, mas a equação original vai continuar errada. Acrescentar ao erro uma nova soma que traga o resultado correto não anula o erro anterior - ele vai existir para sempre.
Partindo dessa premissa, a conclusão é desagradável, porém necessária: você vai sofrer, e a culpa SEMPRE vai ser sua. Não importa que tenha sido levado pelas circunstâncias e enganado por outras pessoas. Se deixou levar porque quis, foi enganado porque não foi capaz de checar a veracidade do que lhe foi passado.
Você foi fraco, e agora? Aprenda com esse erro, meu Deus do céu! Se já sabe o que vai acontecer seguindo por tal caminho, por que raios vai persistir em tentá-lo? Cada um com seu cada um, todos somos livres para fazermos nossas escolhas, e é bem verdade que quem não persiste não alcança, mas para tudo nessa vida há limites. Tem coisas que OBVIAMENTE não darão certo, logo, não vale a pena perder tempo com elas!
Citando um exemplo pessoal, posso dizer que ando com uma dor constante, resultado de todo o descaso que tive para com a minha vida. Estou pensando? Muito. A avaliação está sendo boa? Nem um pouco. Estou sofrendo? Lógico. O que vou fazer? Ainda não sei, mas já entendi que repetir as doses vai sempre me trazer ao mesmo lugar; Sempre vou voltar a esse texto.
Não se anestesie quando chegar a esse ponto cego, não finja que sabe para onde ir quando estiver desnorteado, isso só vai te afastar ainda mais do que lhe será melhor. Pare, respire e comece a pensar. Você vai sentir dor e vai se chocar com suas próprias escolhas, mas pelo menos estará se dando uma chance de tomar outro rumo, podendo encontrar, após tantos desagrados, o seu caminho, e no final dele terá a certeza de que dessa vez virou na curva certa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário