sábado, 27 de outubro de 2012

Platônico.


Cercado por vontades efêmeras e personificado em meus desejos, tornei-me peça única. Porém, dentre tantas esquisitices, a ti me permito; és o clichê dos clichês: aquele cujo sorriso me faz suspirar, o abraço me faz tontear e o beijo me tira daqui - me joga pra lá, me arrasta pra cá, não importa onde eu pare... não percebo... não vejo... apenas sinto. Sinto a ti. És o meu lar.
Me tens por inteiro, enquanto de ti recebo apenas singelos carinhos... Queria que pegasse minhas mãos e me levasse por essa vida sob a luz de um doce luar... Me ensina a amar?! Me ensina a amar! Me ensina a amar! Me ensina a amar!



Nenhum comentário:

Postar um comentário