quarta-feira, 24 de abril de 2013

Coração de diamante.


A mais deslumbrante e mais preciosa das pedras, facetada em forma de coração, guarda em seus reflexos todos os sentimentos, todas as emoções. Todas. Tudo.
Sua lapidação foi concebida pela maior artesã da história; das nossas histórias: a vida. Sua cor, negra como a noite, foi escolhida por sua protegida para que tais reflexos, tais emoções, tão sensíveis e sinceras, fossem protegidas dos cortes necessários para que de pedra bruta passasse a jóia, agora a valorosa peça que bate em teu peito.
Faz-se de algóz, veste a máscara de uma sinceridade maldosa que atravessa qualquer barreira e derruba qualquer muro das lamentações.
Faz-se de dona; dona de suas vontades, escolhas e desejos, ao invés de permitir que estes a guiem.
Faz-se de sonsa, faz suspense, complica sua compreensão... disfarce para a mais pura e simples forma de amor, encarnada em teu coração de diamante; és bela, és amigável e adorável. És dura, és traíra, és cruel... és cada reflexo... És.